No primeiro dia do ano, o Carrefour, um dos maiores nomes do varejo no país, colocou no ar em sua loja virtual um saldão online com descontos de até 50%.
Mas o que era uma boa oportunidade de comprar gadgets e utensílios domésticos com bons preços acabou se tornando uma dor de cabeça para alguns consumidores.
Algumas horas depois, dezenas de pessoas que efetuaram compras durante a liquidação foram surpreendidas pela empresa. O Carrefour  enviou uma notificação alegando que as aquisições haviam sido canceladas por conta de um problema no sistema do site.
Mas, no que depender do Procon-SP, todos os consumidores afetados terão seus produtos entregues direitinho e com os descontos anunciados. “Quem finalizou a compra na internet deve continuar o processo normalmente e procurar o Carrefour para negociação ou vir direto  aoProcon”, explica Carlos Coscarelli, diretor-executivo do órgão. “É importante que a pessoa guarde todos os comprovantes da compra para auxiliar que a oferta feita pela empresa seja cumprida”, diz.
Daqui pra frente, segundo o diretor, existem dois cenários possíveis. O Carrefour pode optar por negociar diretamente com cada consumidor e cumprir a operação, invalidando assim a irregularidade. Ou, na ocasião do não cumprimento da oferta, o Carrefour estará na iminência de ter que arcar com uma multa que pode superar o montante de 6 milhões de reais.
Até o momento, o Procon registrou pouco mais de 100 reclamações de consumidores e ainda alerta que aqueles que se sentirem lesados pela empresa devem procurar o órgão para registrar a sua queixa.
Segundo comunicado da varejista, o Carrefour.com.br apurou que houve um equívoco no processo de aprovação no dia 1º de janeiro de 2012, durante o 3 º Mega Saldão, ocasionando o cancelamento automático de um bloco de pedidos. "Em respeito ao consumidor, vamos analisar cada um dos casos e contatar os respectivos clientes", disse a companhia, em nota.
Fonte - InfoExame 
Minha foto

Advogado, Professor Universitário, Membro da Comissão de Direito Constitucional da OABGO, Pós-graduado em Direito Civil, Processo Civil pela UCAM,  Pós-graduado em Direito Tributário pela UNIDERP, ex-assessor jurídico do TJGO, ex-diretor jurídico do Procon-Goiânia.
 
Top